Siga por Email

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O peso do fardo.







Esses dias vi uma imagem muito interessante e seria até cômica se não fosse triste... Era a imagem de um animal; um burrico que fora levantado ao ar pelo peso de uma carroça abarrotada de carga a qual ele puxava. Colocaram tanto peso na carroça que em dado momento, o peso superou ao do próprio animal e o mesmo foi levantado pela carga, agitando as pernas ao ar, que susto deve ter levado o burrico!
Não sei o que aconteceu depois, mas bem provavelmente o dono do animal quando viu que o bichinho não conseguiria puxar todo aquele peso, deve ter aliviado a carga para que pudessem seguir viagem, pois o bicho com as quatro pernas ao ar seria inútil e não poderia caminhar transportando suas mercadorias.

De igual forma nós seres humanos com nossas cargas acima de nossos limites; do peso que não podemos suportar, também somos inadequados para caminhar.
Quem de nós pode suportar carregar o dobro de nosso peso físico por 20 metros que sejam?
Como poderemos nos livrar do fardo colocado em nossos ombros, contando apenas com nossa vontade?

Quem de nós tem ideia do que seja um promissor futuro vivificante que nos aguarda sem cargas opressoras, se não temos ou não entendemos a graça de Deus para revelação espiritual da libertação que há em Cristo?

Mat. 23.2 "Na cadeira de Moisés se assentam os escribas e fariseus.
3 Portanto, tudo o que vos disserem, isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam.
4 Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; mas eles mesmos nem com o dedo querem movê-los."



Infelizmente muitos de nós estamos com fardos pesados demais para transportarmos.
Mesmo quando estamos na igreja os homens ditos “santos” e a religiosidade de nossas instituições eclesiásticas nos colocaram sem que ao menos pudéssemos nos dar conta do que estava acontecendo... De repente, chega a noite e estamos exaustos da nossa caminhada ainda por terminar porque nosso fardo nos pesou na jornada diária.
Estamos cansados a exaustão, fatigados, nossas pernas e membros pesam toneladas e ainda não encontramos o descanso espiritual que tanto necessitamos.

E o pior ainda está por vir,  pois depois de um certo tempo puxando tanta carga nossos "condutores" exageram e colocam mais e mais mais peso ainda em nossa carroça,  que acontece depois é que ela torna se um veículo desbalanceado e nossas pernas não alcançam o chão devido ao peso excessivo que nos lança ao ar, assim como aquele burrico...

Nesse momento não conseguimos mais caminhar e não conseguiremos enquanto não aliviarem nossa carga. Gritamos por socorro, balançamos nossas pernas, não podemos mais andar; Triste servidão!

O fardo de nossas vidas atribuladas com tantos problemas soma se muitas vezes com as "obrigações espirituais" que muitas vezes a própria igreja nos impõe. Obrigações essas que nos impuseram, para levarmos uma vida "aceitável" diante de Deus está nos paralisando.  Não conseguimos mais andar, estamos sufocando, não conseguimos respirar e aproveitar o verdejante pasto que nos aguarda gratuitamente em Jesus.

Algumas pessoas, pastores e lideres tem lhe dito: “ Você tem que fazer isso, aquilo e aquilo outro para que encontre a salvação e a paz!”
Ou ainda: “Se você não fizer isso ou aquilo no final você não será salvo!”
E para concluir e acabar de vez com suas esperanças, não raramente lhe dizem: “Seus problemas pessoais, financeiros, familiares e de saúde são frutos de suas atitudes pecaminosas.”

Eu quero te perguntar:

-O seu fardo é muito pesado?
-Você está realmente cansado?
-Se já não bastassem os problemas naturais de sua vida; pessoas tem lhe colocado fardos impossíveis de serem transportados?

Se esse é seu caso não se desespere, eu penso que existe uma saída para todos nós que somos atribulados pela vida e por  uma falsa religião que atrela pesos de toda sorte em nossas costas.

Jesus te diz:
“Vinde a mim vos que estais cansados e sobrecarregados eu vos aliviarei, tomai sobre vós o meu jugo porque meu é suave e meu fardo é leve.”

Eis o convite especial e irrecusável, e eis o Senhor Jesus que retira o peso de suas costas seja ele qual for; criado pelo homem ou não.
O peso daquele pecado já foi removido, aquela culpa que não te deixam esquecer já foi perdoada. Aquele problema que você não sabe porque não se soluciona mesmo depois de você ter se arrependido e confessado. Você já tem buscado o perdão de Jesus e mesmo assim ainda lhe dizem que você terá de fazer certas coisas e cumprir certos requisitos para alcançar a misericórdia de Deus, sobre esse problema, Jesus também pode tomar o controle.

O jugo de Jesus é leve e seu convite é para que você possa depositar nEle a culpa de seu pecado, que você possa encontrar nEle descanso para sua alma, para que você possa tomar nEle a posse da vida eterna.

Não perca essa oportunidade, não se deixe enganar pelo "anti-evangelho", aceite já o convite e a Graça de Jesus, e principalmente não se preocupe de onde você tirará força para resistir e conseguir levar adiante as mudanças em sua vida, pois essa força virá única e exclusivamente dEle, basta você aceita-la, é de graça, não paga nada!

"Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam". Hb11:6

Creia em Jesus, mesmo que com uma fé pequena, busque-O, não importa o tamanho de sua fé, o que importa mais é uma fé pequena em um Deus um grande e verdadeiro.
Livre-se do falso entendimento e ensinamentos que lhe afastam de Deus e da verdadeiras soluções de seu problemas, leia a Bíblia e peça ao Espírito Santo que lhe oriente em sua caminhada.
O peso de seu fardo será infinitamente mais leve, fácil e prazeroso de se carregar!

Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.

Hebreus 11:6

Que Deus abençoe a todos nós e não permita  a cegueira por falso entendimento!

3 comentários:

  1. Excelente texto! Muito bem colocado com relação ao sobre peso, jugo que os 'lideres' religiosos destes tempos andam colocando sob as pessoas...(Ufa!)

    Que o Eterno Deus continue lhe abençoando!

    Graça, paz e bem!
    Bj

    *Parabéns pelo blog Nelson... muito bons textos logo de inicio!

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz, sempre!

    Passei por aqui para conhecer seu blog.
    Estou procurando bons blogs para compartilhar.

    Já estou te seguindo.

    Ficaria muito feliz se puder me visitar.
    Se quiser me seguir também será um prazer para mim.

    Abraço em Cristo,

    Sandro
    http://oreinoemnos.blogspot.com/
    Te espero lá.

    ResponderExcluir
  3. Está no imaginário coletivo de muitos cristãos no Brasil ,a questão das obras ,componente muito importante dentro E FORA do pentecostalismo e suas ramificações e não que no céu será aberto o Livro das obras,há um caminho muito delicado aí,pois se possível querem suplantarem o fardo leve que Jesus nos oferece ,por trabalhos a serem expostos. Cantam-se nos púlpitos e aplaudem,dançam-se e aplaudem, uma visão antropocêntrica ,se o crente não tem N cargos ou funções ele é tido como um crente domingueiro,nunca subirá na hierarquia dos templos pentecostais,de obreiro não passará,salvo se ele tiver um excelente dízimo,poderá ser levado rapidamente a presbítero.

    Ou seja: Faz-se e cresce,cresce com títulos porém digo sem medo de errar,essas pessoas passam a ter um relacionamento com Deus muito fraco e já teria que ser o contrário,devocional ,leitura bíblica e meditação no que o Espírito Santo de Deus está falando
    Passam batido,daí o líder que está em evidência no meio eclesiástico não é exemplo de funcionário,de pai/mãe.Por que? Porque a cabeça anda a mil por tantos afazeres e não consegue desfrutar em Deus da sua graça.
    Charles Swindoll tem um livro que diz: A Noiva de Cristo ( renovando a paixão pela Igreja ),ele faz a classificação da Igreja em vários aspectos : Corpo,catedral,tabernáculo,fantasma,burro de carga,cavalo de corrida,mula e a contagiante.Recomendo a obra o mesmo faz um link com o excelente texto do Nelson.

    ResponderExcluir