Siga por Email

domingo, 15 de julho de 2018

O que pregaremos ao mundo?













“Evangelho”

Uma palavra de origem grega que significa “Boas Novas ou Boas Notícias.” 
Segundo o dicionário é  o “conjunto de ensinamentos de Jesus Cristo” que estão inseridos no Novo Testamento. Aquele que evangeliza leva então as boas novas aos homens.

Muitas vezes tenho me perguntado qual é a mensagem que temos levado aos homens, se são as boas  novas para uma vida apenas futura ou boas novas para uma vida abundante, não de bens mas de paz e hoje. 

Quando eu tive a percepção da eternidade; de uma vida eterna no paraíso, muitas coisas deixaram de fazer sentido pra mim, abandonei muitos planos, muitas paixões materiais. Uma delas era minha paixão insana por carros, trabalho, dinheiro entre outras coisas. Comecei cultivar outros valores; espirituais e de relacionamento que até então eu nem me preocupava. A partir  desta percepção comecei dar mais valor a Palavra, a família, amigos, pessoas e relacionamentos.

De certa forma foi bom porque muitas coisas começaram a fazer mais sentido, por outro lado o mundo que fazia sentido até então ainda continuava ao meu redor sem que eu pudesse me afastar totalmente dele. Todos precisamos de trabalho, dinheiro, casa, objetos materiais para mantermos nossa vida aqui nesta terra até que chegue a eternidade.

Hoje vemos muitos pastores pregando um mundo totalmente aqui e agora, um evangelho material com sua teologia da prosperidade que só faz decepcionar pessoas com o “anti-evangelho” inalcançável, não bíblico. Algo que afasta as pessoas do Deus verdadeiro, que as apresenta um deus que não existe.

Por outro lado se pregamos um mundo totalmente espiritual no futuro, no porvir, isso poderá fazer bastante sentido para quem estiver em seu leito de morte ou bastante idoso, ou ainda que tenha maturidade espiritual suficiente para compreender as coisas. Entretanto talvez essa pregação não faça sentido a aquele jovem adolescente que tem a vida toda cheia de sonhos pela frente, ou a aquele pai que precisa pagar as contas amanhã. 
Se o fato de  não apresentar as soluções que as pessoas precisam através da pregação é questionável em alguns casos, piores ainda são as pregações teológicas. 
Sejam de quais tipos forem tais pregações poderão fazer muito bem aos que gostam de  estudar teologia, mestres, professores e lideres na igreja porém não acrescentará nada a quem ainda não conhece a Jesus. 
Certa vez levei uma jovem não convertida a igreja, o pastor  pregou por uma hora sobre o o monergismo, homem caído, depravação total, morte, condenação, pecados específicos e conceitos de sua linha teológica. Foi a pior coisa que eu fiz. Após o culto ela me disse que o pregador era muito chato e homofóbico e que ela não havia entendido nada além disso. Sinceramente eu tive que concordar com a jovem, nas partes que eu não bocejei estava me perguntando onde esse tipo pregação levaria.

Sim, o pecado, inferno e a perdição eterna são reais e não se pode deixar que as pessoas vivam na ignorância, mas não creio que seja a melhor maneira apresentar Jesus como solução.

Alguém acredita que um jovem com toda a vida pela frente está pensando mesmo em eternidade ou morte não planejada? 
Ou que um pai de família desempregado cheio contas pra pagar na segunda-feira achará sentido em um mundo que pra ele naquele momento é apenas "faz-de-conta" num futuro distante? Ou o doente precisando de um tratamento caro e urgente que não pode pagar, está mesmo pensando em morrer sem antes tentar viver?

O jovem precisa do Evangelho que responda seus anseios, duvidas e conflitos próprios de sua idade. Ele precisa de algo que o ajude a encontrar as tantas respostas que ele busca. O pai precisa descobrir como ele cobrirá todas as contas que ele tem que quitar. O doente precisa curar suas enfermidades, ou seja,  cada qual com seu problema precisa de uma resposta especifica.
Oras, o Evangelho além da vida eterna, também contém as respostas que enchem o coração de paz assim como também contém a esperança de milagre para o aflito.

O que é que tem em comum entre o jovem adolescente, o pai desempregado e o doente? O que eles precisam?

Todos precisam de respostas que só podem ser encontradas no Evangelho, nas Boas  Novas, nas palavras de homens que pregam o Consolador que dá paz, entendimento e esperança que se traduz em fé!

Sim, o nosso mundo não é aqui, mas não posso mensurar qual seja a importância pregar a eternidade para o depressivo, para o drogado, para o que sofre. O que adentra a porta da igreja o faz para encontrar uma resposta hoje e não num futuro distante. A pessoa que adentra a porta da igreja precisa encontrar respostas e fé!

Eu digo  como cristão que é preciso ter sensibilidade para entender os diferentes estágios de espiritualidade (ou falta dela) das pessoas que buscam a igreja como portadora da Palavra de Deus e do Evangelho verdadeiro. O que elas do que elas podem encontrar. Todos os que se achegaram a Jesus encontraram alguma resposta, gostassem ou não, entendessem ou não, creio que ficou em cada um deles um questionamento interno e reflexão do que ouviram.
Pessoas chegam (pela fé) a igreja em busca de uma resposta possa sustenta-las de alguma maneira. 
A resposta que eles precisam é ver a fé despertar a partir do Evangelho da boca dos que propõe a prega-lo.
Enquanto um pastor prega sobre a condenação eterna, elas pode estar pensando: “Eu não preciso da ameaça do lago de fogo, da eternidade no futuro, eu preciso que Jesus me diga o que fazer hoje e eu preciso ter fé para crer nisso.”

As pessoas precisam ver a fé,  amor e o próprio Jesus nos que se dizem cristãos e nas igrejas que apresentam o Evangelho.

Confesso que já falhei muito nesse aspecto, houve épocas em que eu não estive mais firme do que um prego na areia. Isso ocorre também com todas pessoas que estão interessadas em pregar o Evangelho, cristãos genuínos que querem servir a Deus, sejam pastores ou não, todos nós que queremos servir e muitas vezes falhamos na fé procuramos as desculpas; problemas pessoais, de trabalho, stress, saúde, etc, etc. Porém nenhum motivo é suficientemente aceitável diante de Deus do que o próprio erro em falhar na fé.

Se nos encontramos nessa situação, isso é mais um motivo pelo qual devemos buscar a fortalecer nossa fé ao ponto de não ser abalado por um mundo caótico, doente e onde possamos ser portadores de esperança, fé e milagres a aqueles que necessitam.

"Sem fé é impossível agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam" (Heb. 11:6).
Crer que Deus existe pode ser uma palavra jogada o vento quando não se tem fé, não basta crer em Sua existência, a dinâmica  da relação ocorre quando realmente se acredita que Ele pode fazer algo a aquele que se aproxima. 

Como pode um incrédulo crer nessa dinâmica se nós não os animamos com nossas vidas e testemunhos a buscar uma relação sincera com Deus? Temos uma fé inabalável que possa sustentar a nós mesmos e a outros que precisam?

A verdade é que  ninguém pode dar o que não tem... Se não temos então que busquemos ter, sejamos o que Deus quer, construamos uma fé inabalável e uma consciência do evangelho tão plena que possa nos encher e transbordar a ponto de encher outro copos. Gosto daquela imagem onde se coloca uma pirâmide de taças com uma superior no topo onde essa é a primeira a ser cheia, e sendo cheia, vai enchendo as de baixo.

Só podemos dar o que temos:

"Pedro, porém, disse: Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo Nazareno, levanta-te e anda!" At 3:6


Pedro, porém, disse: Não tenho nem ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou: em nome de Jesus Cristo Nazareno, levanta-te e anda!

Atos 3:6
Que cena fantástica!!! Fico imaginando o homem coxo olhando Pedro e ele como se fosse um super herói nesse momento lançava sobre o homem algo como um "shuriken de poder" (estrelinha ninja)  e o homem pulou quase como um artista marcial se apoiar nas mãos ficando de pé! Um "raio poderoso" o  atingiu e ele foi curado!

Bem, não foi assim que eu creio que aconteceu, eu apenas quis dar um ar de filme de Jackie Chan aos fatos, rsrsrs. Creio que com toda calma, mansidão mas com uma voz cheia de autoridade sem gritar ou fazer espetáculo ele disse; "Levanta te e anda!" De qualquer maneira mesmo sem pirotecnia foi fantástico do mesmo jeito.

Não, não estou dizendo para sairmos por ai fazendo milagres, (se bem que não seria nada ruim) estou dizendo que temos que ter algo a oferecer a aqueles que nos pedem. Se não temos então teremos que conseguir, nos encher com o poder do Espírito Santo para poder dar a outros.


Eu já tive o grande privilegio de "receber a fé" através de pessoas onde eu não vi crise alguma abalar. Pessoas  firmes, fortes, suficientemente confiantes em Deus para que pudessem me consolar e transmitir uma mensagem do Evangelho a qual eu pudesse realmente crer. Por essas pessoas seguidoras do Mestre; eu agradeço a Deus!

"Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
Mt 5:14-16

E meio a tanta desilusão, descrença, falta de amor e compreensão; em um mundo irremediavelmente perdido, que nós todos os que nos denominamos cristãos possamos ser portadores de uma mensagem e Evangelho vivo pela fé, verdadeiro e eficaz o suficiente para preencher o coração do todos os que necessitam de consolo e paz!

Que Deus nos abençoe a todos!

sábado, 14 de julho de 2018

Onde estava Deus enquanto eu sofria?



 




       “Onde estava Deus, enquanto eu sofria?”

Se você se fez essa pergunta provavelmente deve crer que Deus existe mas não agiu em seu favor qdo precisou ou questiona se Ele realmente existe.

 A verdade é uma só, crer em Deus não é uma garantia de que não teremos problemas e o inverso também é verdadeiro, não crer nEle também não é garantia de problemas.

“Então porque acreditarei em Deus se Ele não me livra de problemas?”

Vou responder por mim mesmo; eu creio em Deus porque sei que Ele está comigo em meio aos meus problemas.

Existe a propagação de uma falsa ideia que diz que Deus te livrará de TODOS os seus problemas, isso é uma meia verdade porque Deus te livrará de seus problemas qdo Ele assim o quiser.  A única verdade incontestável é que ele Ele estará com você não importa quantos problemas você tenha.

Nossa tendência humana, egoísta alimentada por um falso evangelho nos leva a nos rebelarmos e duvidarmos da bondade de Deus qdo passamos por dificuldades. Se Deus é bom por que sofremos ou porque Ele não age?
Quero dizer que crer nEle não garante saúde,  tranqüilidade, segurança, prosperidade, solução imediata de problemas, em contrapartida garante cuidado, amor, compreensão mesmo nas piores situações.

O sofrimento pode não ser um mal em si, o mal maior é crer que Deus nos abandonou diante dos problemas. Ele pode nos livrar das piores situações mas muitas vezes não nos livra por razões que somente Ele conhece. 
Satanás utiliza se da nossa incredulidade de que Deus está no controle em nossos momentos ruins para fazer nos crer que Ele é injusto, ruim e o pior, duvidar de seu amor.
Muitos estão atrás do “deus” que dá , que faz, que abençoa, que cura, mas poucos estão querendo o Deus que ama, cuida, corrige, disciplina e faz crescer.

Num mundo egoísta onde só nós importamos, onde somos praticamente deuses, crer que em um Deus que não te dá o que você precisa (ou acha que precisa) é uma coisa muito chata e idiota.
Por isso crescem os números dos que se dizem ateus, desigrejados, decepcionados com o evangelho (material) pregados em certas igrejas e por ai vai. 

Deixa eu te perguntar: Se você soubesse que Deus te daria tudo que você pedisse qual seria o motivo para você ter fé?
Por acaso você precisaria de fé?

Claro que não, nossa fé é provada de varias maneiras, não só no ato de persistentemente pedir e esperar, mas também com provações e tribulações contrárias a nossa vontade que nos dão motivos para crescer um pouco mais. Quando eu peço, exercito minha fé e confiança em Deus, que Ele existe e é galardoador dos que os buscam (Hb 11:6)
Não compreender os motivos de nossos sofrimentos hoje, nos dá a oportunidade depositar nossa fé no Único que sabe os acontecimentos futuros, Deus. Crescemos quando depositamos nossa esperança na bondade e cuidados de Deus mesmo que não pareça que Ele esteja conosco.

Não devemos no basear pelas circunstâncias da vida, mas na crença que o amor de Deus é maior que tudo, até mesmo que a nossa falta de fé. Se passamos por desgostos e provações;  nEle  coloquemos nossos olhos e saibamos que a resposta virá no tempo certo, enquanto isso aproveitemos a oportunidade de amadurecer e crescer como Ele espera.

Respondendo objetivamente a questão inicial; "Onde Deus estava em meu sofrimento"?
Ele estava, está e estará com você, juntinho dizendo: "Eis que estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos" (MT 28:20)

e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos

Mateus 28:20
Que Deus abençoe a todos!

terça-feira, 3 de julho de 2018

"Qual é o sentido da vida"?


Qual é o sentido da vida?

Bem, esse é um questionamento parte religioso, parte filosófico bastante antigo, desde então milhões de pessoas tem se perguntado quais são as razões que cada um tem para se relacionar com a vida e o mundo.
Não existe uma resposta simples, nem que agrade a todos ou que seja consensual e como não estou nem perto de ser um filósofo, não vou me atrever entrar nesse campo, porém posso dar minha visão bastante resumida de como vejo essa questão.

Creio que  quando surgem nossas frustrações começamos a pensar mais seriamente no que nos levou a uma vida de fracassos e mesmo diante do sucesso, muitas vezes nos perguntamos  porque estamos  tão vazios  tendo alcançado objetivos determinados.

Nós como pessoas, humanos, temos a tendência a buscar objetivos que socialmente são aceitáveis, bons, prazerosos, objetivos estes que visam nos equiparar com pessoas de sucesso, prosperas e aparentemente felizes.

Invariavelmente o que acontece é que quando alcançamos nossos propósitos não nos satisfazemos com eles pois eles não conseguem preencher o vazio que sentimos... Não importa quanto dinheiro ou quão próspero sejamos ou quanto sucesso temos em nossos objetivos, sempre estará faltando alguma coisa que nos empurra a uma próxima empreitada para tentar preencher o espaço.

Quantos pop stars desistiram de suas vidas  no auge da fama e da carreira? Pessoas bem sucedidas, ricas, bonitas, saudáveis mas com um vazio existencial tão grande que suportaram mais “a busca” pelo real sentido de viver. Quando chegaram ao topo de tudo não encontraram nada além de mais perguntas e solidão.

Nada material ou humano pode preencher o vazio que cabe somente a Deus preencher, por isso não existem respostas para nós criaturas de Deus, fora dEle próprio. Nenhum sucesso, patrimônio, saúde, beleza, fama será suficiente para nos livrar do vazio espiritual que somente Deus pode preencher.

Quando fomos criados a Sua imagem e semelhança; Seu objetivo foi de que através de nossa comunhão com Ele pudéssemos ter uma vida plena, porém  nossa queda através do pecado corrompeu essa ligação. Com essa “impossibilidade” de mantermos comunhão com Deus e plenitude de vida,  buscamos através de nós mesmos uma solução  para preenchermos essa grande lacuna deixada pela falta de comunhão com o Pai.

Entretanto Deus restaurou essa comunhão quando enviou seu Filho Jesus  que se deu em sacrifício por nós. Através de Cristo  temos hoje livre acesso ao Pai e garantia da vida eterna, em  qual a certeza preenche uma lacuna.
Se fomos criados para viver em comunhão eterna com o Pai,  estarmos com Ele na eternidade fora de um mundo vil e mesquinho é o grande objetivo que podemos aguardar no porvir.
Se  conseguimos compreender e aceitarmos que essa vida terrena passa rapidamente em 80, 90 anos mas que temos uma outra vida, eterna e maravilhosa nos aguardando, fica bem mais fácil viver e aceitar o dia de hoje com todos os seus males.

“Certo, mas o que eu farei enquanto esse dia não chega?”  "Ainda me sinto vazio...”

Obviamente não vejo outra resposta para ambas as questões que não seja: Viva com Jesus!
Sabemos que a dinâmica de nossas amizades e ralações afetam profundamente o nosso modo de pensar, agir e sentir. Somente  um relacionamento pessoal, verdadeiro, profundo e sincero com Jesus poderá lhe dar as respostas e alivio a medidas que as questões pessoais da vida forem surgindo: 

Mt 11 28-30 “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.

Concluindo essa reflexão; O seu relacionamento com Jesus, ou qualidade dele determinará o nível ou o tipo de busca que você fará em sua vida para prosseguir na caminhada. É preciso escolher entre continuar tentando com suas próprias forças e entendimento achar as respostas que necessita ou entregar seus caminhos a Jesus confiando que Ele tudo fará para que você “descanse sua alma.”

Podemos continuar obstinadamente até desfalecermos, nunca chegarmos a conclusão alguma, repletos de vazio interior ou simplesmente confiarmos que Deus tem em Cristo (o nosso amigo) as respostas para nossas mais profundas indagações;

Jo 15:13 “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.
Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.
Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas chamei-vos amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos dei a conhecer”.

Que Jesus o nosso amigo verdadeiro possa responder com amor e paz suas questões mais profundas e que vc possa encontrar o sentido de sua vida nEle!

Nelson Filho

segunda-feira, 2 de julho de 2018

Tomar bebidas alcoólicas é pecado?















Tomar, beber bebidas alcoólicas é pecado?

Não, não é pecado, pecado é errar na dosagem, beber demais. A Bíblia adverte contra os excessos.
As bebidas alcoólicas sempre estiveram presentes na vida dos homens desde os primórdios, incluindo no Antigo e Novo Testamento.

Jesus bebia vinho com os discípulos e pecadores e era acusado por istonão diferentemente de muitos fariseus modernos:

"E aconteceu que, estando sentado à mesa em casa deste, também estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores, porque eram muitos e o tinham seguido. "E os escribas e fariseus, vendo-o comer com os publicanos e pecadores, disseram aos seus discípulos: Por que come e bebe ele com os publicanos e pecadores?

"O Filho do Homem veio comendo e bebendo mas vocês dizem: Vejam! Um homem glutão dado ao vinho,amigo de cobradores de impostos e pecadores!" Lc 7:34

Que tipo de bebida era? Água? Suco de uva não fermentado como alguns querem nos fazer acreditar "a força" torcendo as escrituras só para reforçar suas ideias puritanas?

Não, o vinho fazia parte das mesas e o suco de uvas não fermentado não poderia ser produzido o ano todo. A uva era um produto sazonal e haja visto que apenas algumas horas depois de ser esmagada, o suco, mosto começa conversão dos açucares em álcool se não houver pasteurização. (O processo esse inventado somente no século XIX por Louis Pasteur) Alguns dias depois dependendo da quantidade e força das leveduras você já tem um produto com relativa quantidade de álcool.

O que eu quero dizer é que era impossível ter suco de uva, (ou vinho novo) sem álcool o ano todo. Quem já fez vinho  (eu) sabe do que eu estou falando.
Não quero entrar nas particularidades da fermentação de vinho pois é um assunto extenso é não é esse o objetivo, quero dizer que é praticamente impossível parar a fermentação de um suco/mosto sem a adição de produtos químicos ou técnicas modernas, portanto se naquela época existiam alguns tipos de vinho em fase de mosto e que não continham álcool, era  tão pouco que seria quase desprezível sua quantidade.
Cabe dizer aqui que até mesmo o vinho da santa ceia tinha álcool; por que Paulo recomendou que esperassem uns pelos outros antes de comer e beber?

"De sorte que, quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor.
Porque, comendo, cada um toma antecipadamente a sua própria ceia; e assim um tem fome e outro embriaga-se."
I Co 11

Que tipo de vinho era este que os irmãos estavam tomando na ceia e embriagando se, suco de uva? Claro que não!

Ai vem alguém e me diz o seguinte: "Vinho pode porque está na Bíblia, mas cerveja e outras bebidas não porque a Bíblia não relata nada".

Quem pensa assim não compreende  que o pecado não está  na bebida em si e sim em quem faz mal uso dela, em errar no consumo.

O que você pensaria se eu lhe dissesse que provavelmente a cerveja era mais consumida do que próprio vinho na época de Jesus? Ficaria surpreso? Pois saiba que era bem mais barato produzir cerveja na Judéia do que o vinho devido a fartura de grãos  mais abundantes que a uva. Mas não vou abordar esse assunto agora.

O fato é que independentemente de qual bebida seja,  ela pode nos levar ao pecado e a fazer coisas que não faríamos se estivéssemos longe dela; brigas, acidentes de transito e tantas outras fatalidades ocorrem porque pessoas sem domínio próprio começam a beber, mas daí a afirmar que beber um pouco onde mantém se o domínio é pecado existe uma diferença muito grande.

O exagero é pecado, seja de qual tipo for, comida, bebida, sexo, trabalho, tudo que é exagerado pode nos levar a pecar. Ter domínio próprio é essencial para uma vida digna segundo a vontade de Deus

Gl 5:22 "Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, 23 mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.
I CO 6:12  "Tudo me é permitido", mas nem tudo convém. "Tudo me é permitido", mas eu não deixarei que nada me domine."

Entenda que obviamente não estou defendendo bebidas, bêbados e muito menos recomendo que alguém saia bebendo, jamais diria tal coisa porque sei que existirão pessoas que não terão controle de si mesmas. Então muito pelo contrário, se eu posso dar um conselho é: Não beba! Entretanto cabe a cada um decidir até onde pode ir e se é capaz de dominar se a si mesmo sem errar no excesso.

Se alguém não tem problemas de saúde, com o alcoolismo, consegue dominar-se sabendo a hora de parar, não trouxer prejuízo a si próprio ou a outros influenciando os mais fracos que não tem a mesma consciência; não faz mal algum consumir um pouco de bebida com moderação. 
Se você não gosta ou não liga para bebidas, que bom, isso é o melhor para você, porém por outro lado se vc é "puritano" o que vc não pode fazer é bater em seu peito achando se mais santo por não beber mas agindo como fariseus advertidos por Jesus faziam; "coando o mosquito e engolindo o camelo!"

Que Deus nos abençoe e nos dê domínio próprio sempre!

Devo dar o dizimo?




















 “É o dizimo para os dias de hoje”Ou:  “Devo dar ou “devolver” o dizimo”?

Depende; se você é judeu, vive na Antiga Aliança, sustenta um templo com levitas em tempo integral? Se é esse seu caso, deve sim...

O dizimo foi instituído no Antigo Testamento  para o serviço no templo, tinha uma função especifica dada ao povo de Israel que deveria dar 10 % de suas colheitas de tudo que produzissem  para  a manutenção do templo, levitas sacerdotes e os pobres, porém essa função acabou, hoje somos a igreja que não vive mais na lei.
Muitas igrejas pedem o dizimo como se isso fosse uma recomendação bíblica entretanto é necessário entender que o templo ou o serviço levita não existem mais e que se existem templos hoje em dia ( e muitos, de várias denominações) estes não foram ordenados por Deus, logo,  não existe também essa obrigação de dizimar.

Infelizmente alguns lideres e denominações;  pelas contingências e dificuldades econômicas ou até mesmo por ganância colocam o dizimo como algo obrigatório fazendo nos sentir culpados e amendrontando os crentes que não dizimam com  maldições.

Não existe um único versículo no Novo Testamento  que prove que o dizimo é para os dias de hoje ou que estabeleça uma quantia especifica em forma de lei para que se cobre ou se peça o dizimo. Qualquer tentativa de fazê-lo, é ultrapassar e distorcer a o que a Palavra diz. Também qualquer igreja, pastor ou denominação, qualquer uma que diga que você está pecando ao não dar o dizimo, está distorcendo a Palavra de Deus. Ou não tem conhecimento bíblico, ou é movido por interesses próprios.
Os exemplos dados no NT da viúva  ou em que  Jesus manda dar o dizimo em Mateus 23 ("Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas,“) é  dito num contexto especifico onde Jesus vivia; ou seja; no Judaísmo.

Mas se não damos o dizimo, como fica o sustento das igrejas locais e dos que trabalham nela?

Bem, como disse o apóstolo Paulo todo obreiro é digno de seu salário e os pastores realmente envolvidos na obra de Deus devem receber proventos para manter sua família e despesas, porém esses valores devem vir em forma de contribuição voluntária e não por força da lei. 
I Co 16:2  o apóstolo Paulo diz "que no primeiro dia de cada semana  cada um separe uma uma quantia de acordo com sua renda".
No primeiro dia da semana, cada um de vocês separe uma quantia, de acordo com a sua renda, reservando-a para que não seja preciso fazer coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2
No primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte o que puder ajuntar, conforme a sua prosperidade, para que não se façam as coletas quando eu chegar.

1 Coríntios 16:2

Todo cristão consciente dá sua oferta de coração, sem constrangimento, imposição da lei ou ameaça de maldição.
Dar em favor da obra não como a lei mandava, mas de acordo com suas posses e com alegria. Tudo o que você der de coração sem ganância é valido e isso pode ser mais do que apenas 10% da lei, e também pode ser bem menos.
Tirar de um assalariado mínimo, que paga aluguel, mal come, com filhos pequenos, 10% de seu salário  é tão estapafúrdio quanto dizer que Deus precisa de nosso dinheiro para Sua obra...

Enquanto estive a frente do trabalho, nada me deixava mais desconcertado do que meu pastor superior pedir que eu fizesse uma oração ou apelo por dízimos e ofertas. Porém eu sempre resisti a esse apelo superior e nunca mencionei um pedido com a palavra “dizimo” a igreja. Meus pedidos sempre eram de ofertas voluntárias explicando lhes os desafios da igreja, desafios estes que muitas vezes não são os desafios que Deus propôs. Quando Deus tem um trabalho Ele mesmo cuida dos recursos.

Para aqueles tentam legitimar o dizimo para nossa Graça em Cristo convertendo a em lei, Tiago adverte que todo aquele erra numa parte da lei erra nela toda ." (Tg 2:10).   "Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." (Tg 2:10). 

Se temos que dar o dizimo por força da lei então teremos que guardar sábado, restringirmos nossa alimentação não comendo certos alimentos e fazermos tudo o que a lei mandava.

Um coração convertido  sempre será generoso segundo suas posses contribuindo com os irmãos mais necessitados e com os desafios de sua igreja local, poderá dar e será livre para doar muito mais do que apenas uma porcentagem pré determinada. Não precisa de ninguém tentando convence-los de dizimar segundo a lei dada a Israel. Hoje vivemos na Graça e ela nos garante a liberdade de sermos generosos sem termos de cumprir rudimentos que não foram destinados a nós.

Que Deus abençoe a todos!

domingo, 20 de maio de 2018

Deus muda Seus planos?















Conversando com minha mãe a respeito de que ela cria na possibilidade de Deus  salvar a quem Ele não planejou, (minha mãe se preocupa e chora muito por isso) então lembrei me de um texto onde o rei Ezequias orou e sua morte certa se estendeu em vida por mais 15 anos depois de uma oração:

"Naqueles dias Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal; e veio a ele o profeta Isaías, filho de Amós, e lhe disse: Assim diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás. Então virou Ezequias o seu rosto para a parede, e orou ao Senhor. E disse: Ah! Senhor, peço-te, lembra-te agora, de que andei diante de ti em verdade, e com coração perfeito, e fiz o que era reto aos teus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo. Então veio a palavra do Senhor a Isaías, dizendo: Vai, e dize a Ezequias: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos" (Isaias 38:1-5).

Notem no texto que a morte de Ezequias já estava decretada, era apenas uma questão de tempo, de Ezequias colocar sua casa em ordem para que Deus o levasse. O rei então orou e clamou a Deus e a coisa mais improvável  e surpreendente aconteceu, Deus lhe deu mais  15 anos de vida!

Independente do que eu aprendi com a teologia a respeito do conceito em que Deus é imutável,  gosto sempre de pensar  na possibilidade de que nossas orações podem mudar o destino que Deus escolheu para nós.
“Como assim?”
Bem, estabelecer um conceito teológico (humano) fechado e colocar Deus dentro dele, é como tentar coloca-Lo em uma caixa e lhe dizer; “O Senhor não pode fazer determinada coisa porque a teologia diz que não pode.” 
Esse pensamento é no mínimo estapafúrdio...
Quem somos nós para entendermos 100% a mente e planos de Deus? Nossas mentes racionais são demasiadamente medíocres e pequenas em compreensão  para entendermos onde Ele quer nos levar e nenhuma teologia  pode explicar isso.

Deus havia decretado a morte de Ezequias e mesmo assim lhe deu mais 15 anos, houve no texto “uma mudança” na vontade sempre soberana de Deus gerada pela oração de Ezequias.

Poderia ficar conjecturando e dizer que isto está na Bíblia apenas para que servisse de exemplo para buscarmos Deus em oração e que Ele sabia que Ezequias iria orar;  que já estava tudo programado para Ezequias viver mais 15 anos e etc, etc....

Sim é fato, porém creio que Deus nos deu promessas para que as busquemos em oração. Ou então por que então Deus nos deu as promessas?  

Independentemente se está tudo definido, as promessas eu vejo como uma oportunidade de buscarmos uma “mudança dos planos” de Deus em nosso favor ou a favor de nossos pedidos. 

Será que Deus não gostaria de  atender nossas orações baseadas em Suas promessas e mudar nossos destinos, inclusive o mais importante entre tantas outras coisas; dando salvação a outros por quais nós rogamos?
Pense nisso!

Que Deus nos abençoe!

sábado, 19 de maio de 2018

Por que nossas orações não são respondidas?





Sim é verdade, todos nós cristãos temos orações que não são respondidas, pelo menos de imediato ou no tempo em que gostaríamos.
Quem não gostaria de ter todas as suas orações e pedidos respondidos por Deus, e o melhor em nosso tempo?
Por mais que você se dedique incessantemente a buscar uma resposta a uma oração, por muitas vezes ela não chega. 
Quantas vezes após orar antes de dormir eu literalmente virei a noite “fritando na cama”  (virando de um lado para o outro) orando em pensamento e nada adiantou? Nesse caso até houve perseverança de minha parte, mas  não era o tempo de Deus para a resposta.
Se analisarmos friamente, de certa forma a oração não respondida nos aproxima de Deus em perseverança, nos fortalece a fé pois cada vez que buscamos a Deus, buscamos porque temos a esperança de que Ele nos atenderá.

Muitos dizem: “Eu não tenho fé”. Mas buscam a Deus em oração, a essas pessoas eu diria: Claro que você tem fé, se não tivesse não estaria buscando a Deus, e o melhor, ao Deus verdadeiro!
Sim porque a fé é inerente ao ser humano, é possível ter fé até um deus de barro, de papel, uma estátua muda e surda  que não pode nos ouvir.

O homem tem a busca de descobrir o sentido da vida, então aplica sua fé em forma de esperança em qualquer coisa que possa dar sentido a as suas indagações.
Quando aplicamos nossa mesmo que pequena fé no Grande Deus verdadeiro, o nosso mundo espiritual pessoal começa a ser modificado.

Então eu quero dizer na maioria das vezes o problema de nossas orações não serem atendidas, não está em nossa falta de fé mas de onde aplicamos nossa fé.
Por exemplo; Se eu aplicar a fé em minha resistência física em orar, estou colocando a fé na força de meu corpo ser perseverante, aguentar várias horas orando, e não aplicando a fé em Deus, nesse caso eu tenho fé em mim mesmo, ou fé na fé!
A perseverança em insistir na presença de Deus deve ser combinada com a certeza que existe uma comunicação com Ele, mesmo fique em silencio você tem a certeza de que Ele está te ouvindo.

Supondo então que agora  já não temos duvidas que possuamos pelo menos um pouco de fé e que ela esteja sendo  esteja sendo aplicada no Deus verdadeiro, e que possuímos alguma perseverança em permanecer  diante de Deus, quais seriam os outros impedimentos para que nossas orações não sejam atendidas?

Oramos pelas coisas erradas:
“Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis.
Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites”
.(Tg 4:2,3)

Interessante, primeiro Tiago diz que não pedimos e logo após ele diz que se pedimos, pedimos mal para gastarmos com nossos deleites.

É um fato, no geral pedimos muito mal: “Senhor me dá saúde, quero pular carnaval ano que vem!” Exagerei, né?
Essa é um pouco menos forçada: “Me faça ficar rico para ajudar os pobres!”
“Me transforme em um homem espiritual pois quero ser promovido no ministério!”
 Fico imaginando os tipos de orações que Deus deve ouvir todos os dias, ainda bem que Ele Deus, porque se fosse  homem como nós perderia a paciência rapidinho, principalmente se a pessoa for perseverante na oração, rsrsrsrsrs. Usei exemplos toscos, esdrúxulos, mas olhem; devem haver muitas pessoas fazendo tais pedidos.

Pedir mal, ou pedir coisas boas e licitas com a motivação errada impede que Deus atenda nossas orações. O pior é tentar esconder a intenção do coração a Deus quando se faz um pedido destes, como se Deus pudesse ser enganado ou não estivesse vendo nossas intenções.

Também é bastante claro  que muitas pessoas fazem pedidos que Deus não  atende porque estão sendo ensinadas erradas nessas igrejas pregadoras de prosperidade.
A pessoa “aprende” que Deus dá tudo o que pedimos, ou que tudo é licito pedir. Assistem encenações teatrais que não correspondem a realidade do que é ensinado no NT e acabam crendo que aquilo tudo é verdade.  Essas “igrejas” ensinam que Deus está ai para nos servir e não ao contrário, os fieis acabam entrando nessa de pode usar o poder da oração para satisfazer todos os seus desejos. Muitas  destas pessoas são simples, sem maldade,  acabam sendo manipuladas por esses lobos até o dia em que desistem do “evangelho” e do “deus” que não atendeu suas expectativas.

Devemos orar segundo a vontade de Deus, especificamente pelo que precisamos:
E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.
E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos.
(I Jo 5:14,15) Orar segundo a vontade de Deus é orar de acordo com ao que está expresso na Bíblia. Conhecer bem a Palavra e sua aplicação  é um grande passo para orar em conformidade com o desejo do Pai.

 Essa é uma parte que todo cristão tem que trabalhar, confesso que muitas vezes não tenho sabedoria suficiente para discernir se estou ou não orando de acordo com a vontade de Deus, mesmo que meu desejo seja licito, a tendência natural do ser humano  é sempre orar de acordo com sua vontade.

Reconhecer a resposta de Deus

Mesmo que  um pedido de oração seja legítimo,por motivos que dependem apenas de Deus ele poderá não ser atendido. Por exemplo: estou na igreja "A" e a igreja "B" precisa de mim  ajudando no trabalho, oro a Deus buscando respostas e nada acontece. Simplesmente pode ser que a vontade de Deus seja que eu permaneça onde estou pelos motivos que só Ele conheça hoje. Poderei mais adiante eu saber porque Deus me manteve ali na igreja "A" naquele momento. Nesse ponto entra a sabedoria de reconhecer com fé a não resposta como uma resposta da parte de Deus.



A oração não respondida nos leva a reflexão:

Em alguns casos a oração não respondida pode ser um dos meios que Deus utiliza para nos levar a reflexão do caminho que estamos trilhando. Não necessariamente significa pecado, mas pode significar que o caminho escolhido nos afasta do desejo que Deus tem para nós. Mais uma vez, mesmo que o desejo seja licito, se não foi o a caminho que Deus traçou  pode exigir uma reflexão de que ponto estamos em relação a vontade de Deus.



“A ele clamei com a minha boca, e ele foi exaltado pela minha língua. Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá;” ( Salmos 66:17-18)

Em outros casos uma purificação pode ser necessária, um pecado ser confessado e abandonado com uma comunhão restabelecida em duas vias, você ora e tem a certeza que Deus está ouvindo.



Nada é tão surpreendentemente bom quanto ter uma oração respondida e existem promessas maravilhosas na Bíblia do que Deus pode  concretizar se estamos com Ele em comunhão; se crescemos no conhecimento e sabedoria, sabemos como achegarmos a Ele e podemos orar com confiança que pedimos segundo Sua vontade.

É um processo que pode até parecer complicado, mas que torna se simples quando nos abrimos a Ele e clamamos por entendimento de Sua vontade e sem resistência nos colocamos em Suas mãos.



Que o Senhor nos dê entendimento e paz!

Nelson Filho