Siga por Email

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Salvação quem quer, eu ou Deus??

Você é salvo porque quer ou porque Deus quer?

Antes de responder esta questão, leia todo este texto que eu preparei da maneira mais sintética possível para amigos e irmãos sobre dúvidas quanto o livre arbítrio e eleição.

Há muitos anos atrás, um professor meu de seminário gostava de brincar: “Alguns irão para o céu porque querem e outros porque Deus quer.” Nessa hora o pau rachava, praticamente acabava a aula e era uma discussão interminável. ((lol)

Antes de responder essa pergunta eu poderia te fazer várias outras como por exemplo: Pode entrar no céu alguém a quem Deus não permitiu?
Ou forçando menos a situação; Alguém entrar de penetra em uma festa do presidente, governador, prefeito ou um figurão importante sem ser convidado, apenas por decisão própria? Imagine; penetra sem ser convidado apenas porque você decidiu!  Entrar do jeito que está, sem roupas adequadas e o pior; sem convite?
 Nessa hora você poderia me dizer: “Mas eu não quero entrar nesta festa! ”
A minha resposta seria: Você de vontade própria, humana e natural também não quer buscar a Deus e entrar no céu, pela aceitação de Jesus. Apesar de achar que pode, você não quer buscar ou escolher a Deus.
“Como???  Eu tenho livre arbítrio! ”  É verdade, você tem livre arbítrio para escolher entre as coisas humanas, se vai ou não trabalhar, se vai comer uma maçã ou uma pêra, mas você definitivamente não tem livre arbítrio para escolher ou não a salvação.

Você não quer buscar a Deus de livre e espontânea vontade porque ninguém busca a Deus por desejo ou vontade própria:
 Rm 3:10, 14: Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.

Por que ninguém busca a Deus? Porque diante de sua inutilidade e pecado todos sem exceção se extraviaram:  
Rm 3:12 Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.
De nós mesmo não existe vontade ou capacidade de buscar a Deus a menos que Ele queira, que Ele nos resgate de nossa vontade que não deseja a Deus.

 Você é salvo pela Graça, não por escolha própria mas é porque Deus escolheu te salvar.

Ele escolheu te salvar fazendo com que Seu Espírito fizesse com que você cresse:

João 16: 8 Quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo. 9 Do pecado, porque os homens não crêem em mim; 10 da justiça, porque vou para o Pai, e vocês não me verão mais; 11 e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está condenado.

 Vê ? O Espírito que Deus enviou é que te convence e não você que convence a si mesmo. Se você não convence a si mesmo não pode escolher a justiça e nem se livra do juízo.
O Espírito opera através do convencimento que te faz aceitar a Deus. Ele age em você sem que você escolha. Convencendo você de seu pecado, gera fé para que você busque a Deus através de Jesus como seu Salvador.
Ele nos predestinou, elegeu, antes da fundação do mundo:
 Ef 1:4,5 Como também nos elegeu nEle antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de Sua vontade.

 Sabe o que significa “beneplácito”? Consentimento e aprovação; autorização; concordância, aprovação de alguma coisa por uma instância superior. Ou seja, foi concedido a você a predestinação no grau de filho por vontade apenas dEle.
 Deus agiu soberanamente em sua decisão, não na nossa. Nós somos corruptíveis, nossa carne, nossa vontade, nosso desejo é totalmente corruptível, sendo assim; como um desejo corruptível pode encontrar em si mesmo uma semente boa?

Como pode de minha vontade gerar fé para buscar Deus que é bom?

 1 Pedro 1: 23 Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela Palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. A Palavra Deus chegou a você pela vontade e Graça de Deus para que agisse o Espírito Santo. E isso não vem de nós é vontade de Deus:

 Ef 2:8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.  

Fp 1.29 Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por ele,  

Rm 12:3 Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.  

1Co 4:7 Porque, quem te faz diferente? E que tens tu que não tenhas recebido? E, se o recebeste, por que te glorias, como se não o houveras recebido?  

Jo 15:16 Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.

 Jo 6:37 Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.  

Jo 6:44 Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia" Então, já dá para responder quem escolhe quem? Não? Então sigamos!

 Ef 2:1 E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados....3 Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.

 Como pode um filho da ira, morto em pecados escolher alguma coisa boa? Por si mesmo nenhum ser humano é capaz de romper com o pecado e praticar a vontade de Deus.

 Esse conceito de livre arbítrio leva muitos a crerem que existe a possibilidade de alguém mesmo morto em delitos, pela sua própria vontade poder escolher o bem. Se alguém pensar assim, o que é pior, se mesmo morto em pecados ele consegue escolher o bem é porque também algum bem existe nele, o que contradiz tudo que a Palavra diz acima.

Não há naturalmente bem em nós, embora haja diferença de caráter e alguns cometamos pecados mais sutis do que os outros, todos pecamos e estamos destituídos da glória da Deus. Não há bem, ou desejo de bem que nos faça buscar a Deus. E Deus age da maneira como Lhe convém agir:  

Rm 9:11 Porque, não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama), Foi-lhe dito a ela: O maior servirá ao menor. Como está escrito: Amei a Jacó, e odiei a Esaú. Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.

Deus escolheu sem um motivo compreensível, porém com uma finalidade perceptível. Ela é definida por uma frase iniciada com a expressão “para que”, inserida significativamente por Paulo: Para que o propósito de Deus, quanto à eleição, prevalecesse, não por conforme obras humanas, mas por aquele que chama.

 Rm 8 :28, 30 E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.


 “Então Deus é injusto por escolher apenas alguns?” Oras, se você me diz que Deus é injusto porque elegeu apenas alguns ,você deveria dizer também que Deus julga a raça humana inteira pelo pecado em Adão, até onde isso é justo?

Parece claramente injusto que Deus permita que não só todos os seres humanos subseqüentes, mas toda a criação sofra por causa de Adão pois ele é nosso representante na queda.
Engraçado que nenhum defensor do livre arbítrio questiona a escolha da humanidade em Adão, mas questiona a escolha da eleição de Deus para alguns segundo Sua soberania.

Observe que em nenhum um momento eu abordei o assunto da presciência de Deus como motivo sinergista para a eleição, pois é totalmente desnecessário uma defesa ante esta visão em vista de tantas passagens que depõe contra a inconsistência de tais argumentos.
Apenas os versículos citados sem nenhum artifício ou invenção são suficientes para argumentar e respaldar a eleição dos salvos segundo o monergismo.

Você está me perguntando, “então por que eu vou pregar o e Evangelho, falar da Salvação de Jesus?”
A resposta é bastante simples; pregamos o Evangelho e o fazemos com alegria porque não sabemos a quem Deus elegeu. Essa palavra que pregamos é a que frutificará no coração dos eleitos por Deus gerando fé e consequentemente salvação.

 “Então somos marionetes que Deus brinca com cordinhas?” Não, nós estamos falando sobre seres humanos que são mortos-vivos espirituais.
Pessoas não têm coração feito de madeira e pano, os corações humanos são feitos de músculos. Elas não são manipuladas por cordinhas e são apenas biologicamente vivas. O problema é que as pessoas agem e tomam decisões levadas por esta mesma carne, ossos, músculos corruptíveis que portanto nunca as coloca em sintonia com a Deus.
Quando Deus regenera uma alma humana, quando Ele nos faz espiritualmente vivos, fazemos escolhas, a partir dai nós temos fé,  cremos e buscamos a Cristo.

Deus não crê por nós mas opera o querer em nós.

Você leu tudo linha por linha?

Já está preparado para responder a questão inicial?

Ainda acha que tem livre arbítrio para escolher ser salvo?

 Você  é salvo porque quer ou porque Deus quer?

 Deus te abençoe ricamente!

 Nelson - 25/06/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário